Home » Saúde

Pílula do dia seguinte

Será que a pílula do dia seguinte faz algum mal? Confira Detalhes sobre este método contraceptivo e tire essa dúvida de uma vez.

Mulher com dúvidaHá vários métodos para prevenir a gravidez, sendo que diferentes ações e práticas passam a ser encaradas como viáveis para as mulheres, tanto por sua eficácia, quanto pelo método mais fácil de tomar.

Alguns métodos podem ser incômodos na hora de sua utilização, outros envolvem medicação diária ou até mesmo injeção como no casos dos anticoncepcionais. Devido a esses pontos, a pílula do dia seguinte é um método contraceptivo utilizado após o ato da relação ser concluído. Mas antes de ingerir qualquer substância como medicamentos, é necessário consultar um médico para que o mesmo possa explicar os prós e os contras dessa pílula, e indicar a mais apropriada para cada organismo, pois se tomado da maneira errada, pode prejudicar a saúde da mulher.

Entenda melhor como a pílula do dia seguinte funciona:

Como funciona a pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte é um medicamento que permite disponibilizar uma bomba de progesterona, este que é o principal hormônio que impede a ovulação, fazendo com que haja uma recarga do organismo em relação ao hormônio, permitindo que o método contraceptivo torne-se eficaz, permitindo que a gestação não seja concretizada. Por ser um método contraceptivo que deve ser utilizado somente em casos de emergência, a pílula do dia seguinte permite descarregar, de uma só vez, cerca de dez doses de um anticoncepcional tradicional, fazendo com que este aspecto prove que o remédio é forte e que pode causar problemas à saúde quando tomado de modo exagerado.

ação da pílula do dia seguinte

Normalmente a pílula do dia seguinte, seus efeitos e eficácia variam de acordo com o organismo de cada mulher, além do tipo de medicamento comprado, pois há alguns que somente oferecem uma dose, assim como outros oferecem dose dupla, com a eficácia que pode variar de acordo com o tempo de ingestão após a relação do casal. Por esses motivos, é necessário ler com atenção a bula que vem junto com o medicamento, e ainda se tiver dúvidas, consultar um médico para saber qual é o melhor medicamento para o seu organismo. A secreção do órgão reprodutor feminino é alterada para impedir que os espermatozoides fecundem. Caso haja a fertilização, mas sem nidação, a pílula também é capaz de modificar o tecido uterino.

A pílula do dia seguinte e a menstruação

Por tratar-se de uma carga de hormônios muito alta, a pílula do dia seguinte pode trazer alguns atrasos à menstruação, sendo que uma mulher pode sofrer com tais atrasos por algum tempo após a ingestão do medicamento, comprometendo o ciclo até a normalização total do organismo, já que esse medicamento trata-se de uma grande carga de hormônios.

É normal que o atraso seja de alguns dias, normalmente variando em até três semanas, somente, sem que o período estenda-se por mais tempo, caso contrário será indicado realizar exames para comprovar a eficácia da pílula do dia seguinte, havendo possibilidades de gravidez de acordo com o uso que é feito, podendo verificar os riscos abaixo.

Riscos da pílula do dia seguinte

Mulher deitada pensandoHá vários riscos que podem ser causados pela utilização da pílula do dia seguinte de forma exagerada, sendo que um dos principais fatores é a eficácia que irá diminuindo de acordo com a constância com que é ingerida, podendo, algum dia, falhar. Ou seja, esse medicamento é indicado apenas em casos de emergência.

Conforme a frequência, também é possível que a pílula desregule a menstruação completamente, com desarranjos devido às fortes doses de hormônios. Conforme a utilização exagerada, também é possível constatar que este modo contraceptivo poderá causar vômitos e sangramentos.

Tags: , , ,
Publicado por Guilherme
Revisado em 04/12/2013

Compartilhar