Home » Dinheiro

Como organizar as finanças pessoais

Saiba como organizar as finanças pessoais e evitar mais problemas financeiros por falta de organização. É simples e muito útil.

Cofrinho de moedas

Organizar as finanças pessoais é um ato que precisa de responsabilidade, pois será necessário rever vários conceitos quanto ao consumo de bens e serviços que podem estar causando um gasto acima do aceitável em seu orçamento. Veremos, a seguir, uma série de dicas para sair do vermelho reorganizando suas finanças e gastando apenas aquilo que recebe de salário, pró-labore ou de outro meio, ou seja, buscaremos ajudá-lo a chegar ao final do mês com algum dinheiro no bolso para gastar e fugir dos juros bancários.

O conceito de administração de finanças pessoais

Administração de finanças pessoais significa saber gastar o dinheiro de forma consciente e não extrapolar, ou seja, fazer com que suas despesas não sejam maiores que a receita. Portanto, pode se dizer que administrar as finanças pessoais é um planejamento para se obter a médio e longo prazo produtos que possuem um valor elevado como por exemplo, uma casa, um apartamento ou um carro. Contudo, muitas pessoas acabam gastando mais do que realmente recebem, muitas vezes por não saberem se controlar no momento que veem um produto, ainda mais se tiverem um cartão de crédito na mão.

Moedas

Entrar no vermelho é terrível e pode fazer com que uma dívida pequena se transforme em um valor extremamente alto, simplesmente pelos juros mensais que viram uma bola de neve. Sair do vermelho é primordial e abaixo passamos algumas dicas para isso.

Finanças pessoais: como sair do vermelho?

Procurar informações para sair do vermelho já é um grande passo para esta conquista tão difícil, sendo que agora basta colocar este processo em prática. Confira a seguir os demais passos para sair do vermelho.

Pessoa com bolsos vazios

Coloque no papel todas as suas dívidas (empréstimos, financiamentos, despesas da casa e pessoais, entre outras); Se possui dívidas com bancos e cartões de crédito, procure estas instituições e faça uma renegociação (os juros de um parcelamento da dívida é menor, por exemplo, que o juros mensal do cartão de crédito e do cheque especial); Faça o mesmo com todas as suas outras dívidas, ou seja, procure seus credores e busque renegociar os seus débitos; Para dívidas menores procure negociar um desconto para o pagamento à vista (muitas empresas dão descontos que podem chegar a 50%), onde outras cobram apenas o valor do principal eliminando todos os juros e multa; Esqueça a existência do cheque especial e do cartão de crédito para não cair em tentações. Se possível, peça ao banco o cancelamento de ambos ou, até mesmo, quebre o seu cartão; Tenha um consumo consciente, compre apenas o necessário e não jogue dinheiro fora; Não quebre nenhum acordo de parcelamento, pois, em alguns casos, podem existir multas por conta desse ato.

É importante lembrar que nos parcelamentos de suas dívidas procure não extrapolar o limite de 30% da sua renda para não acabar voltando a atrasar as mesmas.

Aplicativo para planejamento de finanças pessoais

Existem diversos aplicativos para ajudar no planejamento das finanças pessoais, bastante úteis principalmente para aqueles que não possuem muita familiaridade com as tradicionais planilhas Excell.

Pessoa usando smartphone

Alguns aplicativos apresentam função "familiar" e podem auxiliar no orçamento doméstico, oferecendo a abertura de várias contas com criação de gráficos e lembretes. Vale a pena consultar o Finance, app mais popular na Apple e Google Store.

Na palestra do administrador de Empresas, Renê Estevam, confira mais dicas para administrar suas finanças pessoais:

Tags: , ,
Publicado por Guilherme
Revisado em 30/08/2013

Compartilhar