Home »
Warning: Use of undefined constant multiple - assumed 'multiple' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/blogcamp/public_html/wp-content/themes/k180928/templates/content-single.php on line 3
Curiosidades

As melhores obras de José de Alencar

As obras de José de Alencar resumem-se em romances urbanos, históricos, indianistas e regionalistas, todos caracterizados pelo nacionalismo.

As melhores obras de José de Alencar

José Martiniano de Alencar (1829-1877) é considerado um dos maiores escritores brasileiros. Além de ser um destaque na literatura brasileira também atuou como advogado, jornalista, político e dramaturgo. Seu estilo literário aborda o nacionalismo (dica: saiba mais sobre o descobrimento do Brasil), região nordestina e cearense, burguesia fluminense do século XIV, período pré-cabralino, colonização (leia: curiosidades do descobrimento do Brasil), bandeirantismo e a Guerra dos Mascates.

Todas as suas obras foram primeiro publicadas em jornais para somente depois serem editadas em livros. Seu primeiro romance (Cinco Minutos) foi publicado em 1856. No ano seguinte lançou A Viuvinha e O Guarani e foi com este que começou a ser notado no cenário literário da época.

Entre romances indígenas destacam-se Iracema e Ubirajara. O primeiro retrata a vida da índia Iracema, mais conhecida como a “virgem dos lábios de mel” e “dos cabelos tão escuros com a asa dagraúna”. O segundo conta todas as aventuras do jovem guerreiro indígena Ubirajara.

As melhores obras de José de Alencar 1Romances urbanos:

Cinco Minutos (1857), A Viuvinha (1860), Lucíola (1862), Diva (1864), A pata da gazela (1870), Sonhos d’ouro (1872), Senhora (1875) e Encarnação (1893).

Romances históricos e indianistas: 

O Guarani (1875), Iracema (1865), As minas de prata (1865), Alfarrábios (1873), Ubirajara (1874) e Guerra dos mascates (1873).

Romances regionalistas:

O Gaúcho (1870), O Tronco do Ipê (1871), Til (1872) e O Sertanejo (1875).

Críticas e Polêmicas: 

Cartas sobre a confederação dos tamoios (1856), Cartas políticas e novas cartas de Erasmo (1865), Ao povo: cartas políticas de Erasmo (1866) e O sistema representativo (1866).

Crônica: 

Ao correr da pena (1874).

Peças teatrais: 

O crédito (1857), Verso e reverso (1857), O Demônio Familiar (1857), As asas de um anjo (1858), Mãe (1860), A expiação (1857) e O jesuíta (1875).

Tags: , ,
Publicado por Blogcamp
Revisado em 15/03/2018

Compartilhar