Home » TV

Amores Roubados minissérie

Amores Roubados: uma minissérie em 10 capítulos capaz de despertar inúmeros sentimentos, críticas, desejos e opiniões. Qual é a sua?

Amores-Roubados

Amores Roubados é uma daquelas minisséries que você paga pra ver, depois de muitos burburinhos em cima da trama finalmente a rede Globo leva ao ar em Janeiro de 2014. Através de uma ajuda irônica do destino (uma vez que o protagonista foi acusado de se envolver com a mocinha, mesmo sendo - muito bem - casado) a minissérie já chega para abalar as estruturas.

Com muito fogo e desejo o sommelier (profissional responsável pelas bebidas) Leandro, interpretado pelo galã Cauã Reymond, degusta vinhos e mulheres da alta sociedade. Praticamente um atentado ao pudor ou aos meus olhos, uma vez que a equipe quase não teve gastos com o figurino já que as cenas calientes predominam boa parte do tempo na trama.

Elenco-de-Amores-Roubados
Mas, exageros à parte, Amores Roubados é a típica minissérie que agrada desagradando ou desagrada agradando, você começa a assistir e sua educação familiar começa a gritar, sua moral e suas normas de bons costumes já apitam, mas com o tempo você vai percebendo que a veracidade dos atos se sobrepõe e é isso que faz dela uma série incomodamente boa.

Quem nunca se apaixonou pelo errado? Pelo cafajeste de barba que passa por você exibindo um sorriso irônico e exalando um perfume que chega a aumentar seus batimentos cardíacos? Se nunca aconteceu isso, não sabe o que tá perdendo! É isso que Leandro vai fazer, espalhar seu charme e morenice sertaneja e arrebatar corações e corpos, mas como todo bom Don Juan, mais cedo ou mais tarde será arrebatado pelo amor de Antônia (Isis Valverde).

minisserie amores roubados

E levando isso para o lado prático da vida, pode-se dizer que Amores Roubados é a cópia fiel de uma vida real. Por mais que a gente queira dizer que não, é realmente isso que acontece (sem generalizar), a mulher casada que faz de conta que ama o marido (velho e rico), mas se envolve com um garotão que supre suas vontades; um pai que quer ditar as regras da vida da filha adulta porque acha que é o melhor pra ela conduzir os negócios da família; uma mãe que fica entre a cruz e a espada (o pai e a filha) e se anula pela família e um garanhão que faz e acontece deixando mulheres de todas as raças e de todas as cores perdidamente apaixonada por ele, e claro, sem ter a menor pretensão de firmar compromisso com nenhuma delas.

Cauã Reymond e Isis Valverde

Por mais intrigante que seja, Amores Roubados traz o real e, como sempre, a gente tenta esconder e colocar debaixo do tapete dizendo que é uma minissérie que só ‘ensina coisa errada’ quando na verdade o que incomoda é a sua identificação com um personagem.

Sejamos mais verdadeiros com nós mesmos, se incomoda é porque fere! Se fere é porque ainda faz sentido, por isso, cabe a nós enquanto espectadores olhar para Amores Roubados sem críticas destrutivas, mas com uma visão de quem sabe reter o que é bom e jogar fora o que não é. Até porque no fundo, no fundo, a gente quer mesmo é um amor arrebatador, uma paixão avassaladora e uma vida de novela. O que nem sempre acontece.

Tags: , ,
Publicado por Lucimari
Revisado em 09/01/2014

Compartilhar