Home »
Warning: Use of undefined constant multiple - assumed 'multiple' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/blogcamp/public_html/wp-content/themes/k180928/templates/content-single.php on line 3
Brasil

A matriz energética brasileira

Você sabe de onde vem a energia do país? Conheça detalhes sobre as fontes de consumo e a evolução da matriz energética brasileira.

a energia no Brasil

A matriz energética é a base do fornecimento de energia, ou seja, a partir da matriz é que será distribuído o fornecimento de energia para os demais locais e unidades de fornecimento de energia, sendo anterior ao processo de distribuição, a realização da transformação dos recursos destinados a produção de energia em processos de produção com recursos naturais, ou seja, com menor apresentação de derivados de petróleo. A análise desta matriz, assim como o uso dos derivados do petróleo como grande participação nos processos produtivos da matriz, visa o controle e planejamento do setor energético, considerando ainda a emissão de poluentes destes recursos não renováveis provindos do petróleo.

Histórico da Matriz Energética Brasileira

A evolução brasileira em relação aos processos de produção de energia é datada do início do século vinte, onde a madeira era o principal recurso, partindo daí, as dificuldades tornaram a busca por recursos mais árdua, devendo então importar determinados recursos alternativos, para dar continuidade ao fornecimento já instalado. As condições políticas no Brasil e mundiais se tornaram fatores de obstáculos, com o acontecimento de guerras, medidas protecionistas do governo em determinados períodos, adoção dos recursos hídricos como recurso de energia, adoção de controle de atividades petroleiras e

Confira o panorama da evolução da matriz energética brasileira, divulgado pelo EPE - Empresa de Pesquisa Energética:

Matriz Energética Brasileira 1970

Matriz Energética Brasileira 2000

A Matriz Energética Brasileira Atual

Após o uso de tantos recursos não renováveis, o Brasil se tornou consciente de seu papel com a preservação do ar, considerando novas formas de emitir menores quantidades de poluição, atuando através de recursos como a biomassa, o etanol e energia solar. O desenvolvimentos destes processos se deram pelo acordo feito em Conferência com as Nações Unidas, em comprometimento com o desenvolvimento sustentável do país, e para quem considera somente a Rio +20 como conferência válida, deve compreender que estas medidas em preservação do meio ambiente se deu início em 1972, em Estocolmo, seguido então da Eco 92, no ano de 1992, vinte anos depois, renovando o acordo e implantando novas ideias renováveis.

Os maiores investimentos no setor energético foram justamente neste período das décadas de sessenta e setenta, considerando então a evolução constante em cumprimento com o acordo estipulado na conferência. Atualmente o Brasil possui cerca de cento e quarenta usinas em operação, com pretensão de criação de mais setenta usinas até o limite do ano de 2017, através de recursos renováveis, considerando também a emissão de gases poluentes. Devido a estas emissões de gases, passaram a serem considerados os recursos de energia solar e energia eólica em função da produção de energia, para que sejam distribuídas aos consumidores, instalando estes métodos em regiões como Nordeste, que possuem fortes rajadas de vento para a produção de energia.

De acordo com o EPE, a estimativa para a matriz energética nacional deve alcançar os seguintes números em 2030:

Matriz Energética Brasileira 2030

Quando comparada aos outros países, a matriz energética brasileira é considerada limpa e bastante evoluída, devido à diversificação dos recursos utilizados, reduzindo de modo proporcional a necessidade de recursos derivados do petróleo, e somente é considerado fator preocupante, quando as falhas do sistema de energia afetam cidades inteiras, com os já conhecidos apagões, ocasionando em um maior controle e análise da matriz energética, de modo que responda a tais questões preocupantes.

A sustentabilidade tem se tornando palavra chave quando o assunto é geração de energia. No vídeo a seguir, acompanhe a discussão acerca do O potencial brasileiro para geração de energia sustentável, comandado por Mário Veiga, da Academia Brasileira de Ciências:

Tags: , ,
Publicado por Guilherme
Revisado em 01/11/2013

Compartilhar